Leilão de captação de recursos financeiros para manutenção dos projetos de mídia da Rádio Yandê


2

Foto: Peça de coleção cocares do nordeste, de Anápuáka Tupinambá

Chegou a hora o momento, começou!

Estou leiloando um cocar de minha coleção pessoal para captação de fundos para dar continuidade ao projeto da Rádio Yandê.Nos ajude, participe dê o seu lance! 1 Cocar Indígena do nordeste (Coleção Anápuáka Tupinambá) No leilão onde o comprador encontra o leiloeiro sem taxas totalmente grátis você escolhe um valor inicial e um final ou simplesmente deixa um lance livre para seu produto e bate o martelo quando quiser, sem tempo sem prazo

Link do Leilão:http://www.noleilao.com.br/?c=p&id=1475621894#1-Cocar-Indigena-do-nordeste—-Cole–o-An-pu-ka-Tupinamb–

Opinião: São 42 dias dentro do BRT, linha 4 e 1 do Metrô do Rio usando o bilhete único.


14482280_354169118307077_6444562964103036928_n

Foto Instagram Anápuáka – Terminal Jardim Oceânico, Barra da Tijuca Rio (RJ).

O tempo de viagem não foi tão ruim, o trajeto do bairro de Santa Cruz ao terminal Alvorada na Barra da Tijuca, sai do terminal Santa Cruz era 9:10, o tempo de trajeto ideal deveria ser uns 45 min. Mas foi de 1 hora e 10 min. o ônibus da linha BRT TransOeste estava em péssima estado sem ar em total funcionalidade em alguns pontos tinha ar condicionado funcionando em outros não, sem os martelinhos de emergências (creio eu que seja por furtos de passageiros inconsequentes), caso um sinistro venha ocorrer os passageiros devem usar para romper os vidros dos veículos, as portas do veículo não estavam isoladas sem borrachas e dificuldades de fechar (novamente creio eu que passageiros danificaram, assim expondo a segurança e qualidade do serviço). Viajei sentado, pois esperei na fila do passageiros que vão sentados. A espera foi três ônibus com lotação completa saíram do terminal Santa Cruz, mas não demorou os intervalos saída (creio que estava com “sorte”), um ponto positivo para uma segunda feira de manhã usando transporte público que não dá vazão a massa de passageiros da zona oeste nos horários de pico rush da manhã, tarde até a noite às 22h),

Continuar lendo

Porque não ter um indígena presidente da Funai em 2016 no governo Temer, nem de brincadeira.


 

 

Pensar-fora-da-caixa2

Olá parentes, estamos em um cenário horrível, momento conturbado politicamente e economicamente, hoje só colocariam um indigena lá primeiro pra calar a boca do movimento. o #OcupaFUNAI é um ato indigena certo, não é ação indigenista não vem de CIMI, FUNAI, ISA etc vem dos povos indígenas, não veio só da APIB vem da população indigena este ato, isso é autonomia política indígena para ter como exemplo.

Quem temos hoje para compor um governo com PMDB, pois tem que ser do governo atual ele não colocarão indigena ligado a partido de esquerda e nem “especialistas” tão mesmo técnico, o cargo de presidente da FUNAI ou de qualquer outra autarquia, fundação e primeiro escalão e é estratégico ao governo, pois o assunto terra, mineração, madeira, extrativismo de minério, águas, estão dentro das terras indígenas maioria alem de campos onde eram florestas, cerrado, sertão, pampas etc estão em locais sagrados indígenas ou territórios o Opor e termos que colocar um indigena para ser usado pelo atual governo, como cala boca e massa de manobra contra nós neste momento Imagina um indigena do porte de Ailton Krenak presidente da Funai? Continuar lendo

Anápuáka, EBC e Histórias


indigena

EBC – Rádios EBC | Programa Bate Papo Ponto Com, esq Anápuáka Tupinambá, apresentação Cadu Freitas.

 

Eu tenho muita gratidão a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) TV Brasil, Agência Brasil, Nacional da Amazônia, Nacional de Brasília, MEC AM e MEC FM, mídias estas que sempre me dão espaços para ouvir me e permitir amplificar as minhas falas sobre pautas indígenas a qualquer momento sem restrição.

Em novembro 2007 no Recife (PE), em minha primeira experiência com a TV Pública, ano quando foi criando a TV Brasil e outros canais ligados a EBC, fui cobrir jogos indígenas e realizar uma experiência de web rádio indígena que eu tentava na época a web rádio brasil indígena (não foi a frente como eu desejava, mas o futuro me aguardava  com algo maior em 2013), fiz a oficina de curtas com a equipe da futura TV Brasil de Brasília e Pontos de Culturas no Ponto de Cultura Cinema de Animação dirigida por Lula Gonzaga, produzimos muitos curtas metragem para o quadro “Outro Olhar” um formato de Jornalismo PARTICIPATIVO e SOCIAL, algo que eu nunca tinha visto. Continuar lendo